Sem categoria

A Energia Monetária

Para falar de energia monetária, é muito importante compreender aqui o conceito de energia. No olhar da Física a energia é a capacidade de produzir trabalho. A lei da conservação de energia nos ensina que nenhuma energia se perde e nem pode ser destruída, ela se transforma.

Então é importante que cada um reflita sobre como, enquanto um centro de energia que é, se relaciona com o dinheiro, que também é uma energia. Energia monetária.

Quero trazer, como sempre, o olhar das Constelações Familiares, portanto de Bert Hellinger que foi o seu criador sobre esta questão.

Para quem não conhece as Constelações Familiares, e sem me aprofundar neste tema, pois não é o tema principal, vou apenas dizer que a constelação traz um olhar sistêmico,  ou seja, o equilíbrio familiar diz respeito a três ordens que ele chamou de Ordens do Amor: O respeito a hierarquia familiar (honrar sempre quem veio antes), o vínculo que é o pertencimento, em uma família todos precisam estar incluídos e o movimento do dar e receber. Se você recebe algo bom é sempre importante você dar algo mais e se você recebe algo ruim é sempre bom dar algo menos (ruim)

Para conseguir o equilíbrio financeiro é muito importante perceber o quanto está em equilíbrio com a sua família. Ou seja, o quando honra esta família a que pertence, inclusive tudo o que considera de bom ou de ruim. Pois, pelo olhar sistêmico, não há bom ou ruim, há o que se pode dar dentro do que se recebeu e se integrou.

Então, para que perceba de que forma se relaciona com a energia monetária, é importante direcionar o olhar para a sua história e a história da sua família, os seus ancestrais.  

E quero chamar a atenção, que é muito importante quando cada um refletir sobre estes aspectos, evitar entrar na vitimização. Porque penso que são os níveis de compreensão que vamos tendo sobre os nossos processos, ao longo da vida, que nos ajudam a fortalecer e ampliar a nossa consciência.  Partindo de você, perceba como foi o seu movimento de chegada à esta existência. Foi de parto normal, foi de fórceps, foi de cesária, pois isto vai compor este fluxo de energia. Como você hoje se relaciona com esta energia baseado no que você aprendeu com a sua família de origem? O que você via e o que você ouvia com relação ao dinheiro? Por exemplo. Se você tinha um pai que gastava de mais e uma mãe que tinha recursos e dizia que não tinha dinheiro, e quando você pedia algo ela não lhe dava e na semana seguinte o que você pediu aparecia sem explicação, você pode ter uma relação com o dinheiro de desafio. Ou seja. Você compra primeiro para depois o dinheiro chegar. Então, é muito importante você, dentro do seu padrão familiar, identificar como esta relação funcionava.

Além destas crenças com relação a energia monetária que você desenvolveu ao longo das suas experiências de vida, como anda a sua relação com o seu pai e a sua mãe? Você os honra pela vida que eles lhe deram? Independente do que lhe fizeram e que você julga ser bom ou ruim? Bert nos dá um alerta, e este alerta é com base em pesquisa ao longo dos seus digamos assim, sessenta anos de existência, pois ele morreu com 94.

Podemos também desenvolver alianças com os nossos ancestrais, por exemplo você vem de uma família que muitas gerações faliram, por exemplo, então pode existir uma fidelidade neste aspecto, que precisa ser vista e ressignificada.

Quando falamos em desenvolver um equilíbrio com a energia monetária estamos falando de algo muito maior do que simplesmente ganhar dinheiro. Estamos falando em ter equilíbrio para ter uma vida digna. Morar, comer, viver com dignidade. Sem lhe faltar tudo que é essencial para viver.

Nós podemos ter aquilo que sempre sonhamos, ter todo o dinheiro do mundo e ainda assim sermos infelizes. Pois o que precisamos primeiro buscar é o nosso equilíbrio interior. Com este equilíbrio iremos pensar em constituir uma reserva de dinheiro para situações emergenciais, em investir no seu próprio negócio, na sua profissão, em si proporcionar momentos de laser.

A energia monetária exige o nosso respeito.

Artigo publicado no jornal O diário de Ilhéus em 31/07/2020.

Eulina Menezes Lavigne é mãe de três filhos, escritora, poetisa, administradora, empreendedora social, terapeuta clínica, consteladora familiar há 16 anos, trabalha com trauma utilizando a técnica, naturalista e psicobiológica, SE – Experiência Somática.

Para entrar em contato clique no link:

http://bit.ly/WhatsEulina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: